Estatísticas de consumo de gás

Desde que começamos na função do trailer eu sempre tive a dúvida sobre quanto gás se consome em um uso típico de uma casa móvel. Até agora viemos utilizando um medidor muito simples, que basicamente avisa quando a coisa tá muito feia. Não ajuda muito na verdade, e na prática o que tem ajudado mais é o sentimento de que faz muito tempo que não trocamos e tá na hora de dar uma olhada.

Ainda assim, a verdade é que o botijão dura muito mais do que eu imaginava, e as vezes ainda me pergunto quanto de gás realmente ainda sobra, e o que poderia se fazer com aquela quantidade, tipicamente. Também tenho uma outra dúvida: será que um botijão menor com uma quantidade X de gás permite fazer melhor uso dessa quantidade, já que essa quantidade está dentro de um volume (espaço) menor?

Pra sanar essas curiosidades, nos preparativos dessa nossa última viagem iniciei uma coleta de dados pra ter uma idéia melhor.

O conceito é simples: todo botijão tem a tara impressa nele, então medindo o peso sabemos com precisão quanto gás sobra. Medindo antes e depois das viagens, e anotando junto com algumas características simples das viagens, depois de algum tempo talvez seja possível melhorar a noção sobre essas questões.

Nessa primeira viagem já comecei o processo. Seguem as primeiras medições de dois botijões, um de 5kg e outro de 8kg de gás, feitas com uma balança de mão simples, conhecida popularmente como “balança de peixeiro”. No meio ou no final das viagens pretendo refazer as medições para evoluir os dados.


Salve, Gustavo! Notei nas minhas trocas do gás, que tem sobrado muito mais do que gostaria. Na última troca, até o rapaz que fez a entrega se espantou. Como não tinha uma balança para medir o peso, chuto que tenha restado meio botijão de 13Kg. Novato que sou no campismo, não sei se é normal isso. Sei que o meu aquecedor precisa de uma revisão, mas não tenho certeza de que seja esta a causa.
Abraço!

Buenas Miguel!

Se tinha meio botijão acho difícil ser essa a causa. No nosso caso quando o aquecedor começa a se desligar logo após ligar e não é falta de gás o problema é que as pilhas do aquecedor precisam ser trocadas. Duas pilhas grandes de boa qualidade duram um verão mais ou menos.

Uma idéia que adotamos pra resolver esse problema de ter que trocar botijão pela metade pra não arriscar ficar sem é andar com dois pequenos. Começamos com dois de 8kg e agora estamos passando para dois de 5kg. Dessa forma sempre se anda com ao menos um botijão cheio de reserva, e quando o primeiro acaba pode ser trocado sem desperdícios e sem risco de ficar sem. Dois botijões cheios de 5kg juntos são mais leves do que um botijão cheio de 13kg, como dá pra ter uma idéia pelas medidas acima, e os dois botijões pequenos também distribuem o peso melhor.

As desvantagens desse esquema é andar com um pouco menos de gás ao todo se comparado com um de 13kg, ter que trocar com mais frequência (o dobro mais ou menos), e o gás nos botijões menores é um pouco mais caro (mas custa menos de cada vez, e sem desperdícios).

1 Curtida

Gustavo, não creio que sejam as pilhas, pois nas duas oportunidades em que faltou gás, substituí o botijão e resolveu o problema da falta de aquecimento da água. De qualquer forma, a ideia de dois botijões menores parece interessante, só tenho dúvida quanto a oferta deste modelos pelas cidades do Brasil.

Não custa fazer um teste ao menos. A pressão maior pode mascarar outros problemas.

Quanto a disponibilidade dos botijões menores, o conector é o mesmo, e as empresas aceitam troca entre os diferentes tamanhos sem custo adicional.

1 Curtida

Fiz mais uma medição do gás hoje antes de sairmos, depois de alguns dias de uso. O botijão de 8kg de gás estava com 14.87kg incluindo a tara, e o de 5kg estava com 11.53kg. Comparando com o peso original acima, gastamos quase que exatamente 1kg de gás.

O período total foi pouco mais de uma semana, mas não dá pra considerar isso pro gás pois usamos bastante a infraestrutura do camping dessa vez.

Fizemos uma retrospectiva rápida e acho que seria adequado considerar 4 dias de uso do gás, com no mínimo 3 banhos por dia, e com uso diário de forno para refeição e de pelo menos três chaleiras de água por dia (chimarrão :blush:) e mais algum extra.

Isso dá uma média de 0.25kg de gás por dia, ou 4 dias por kilo, ou 20 dias de uso em um botijão pequeno de 5kg.

Não dá pra levar ao pé da letra, mas é o melhor número que temos até agora. Vou continuar medindo pra melhorar essa estatística.

Uma observação filosófica: toda vez que eu paro pra pensar na quantidade de energia armazenada em um botijão de gás me cai o queixo. Isso explica porque a sociedade ainda é tão dependete dos combustíveis.

A gente que curte casas móveis consegue apreciar um pouco melhor a dificuldade que é armazenar energia… essas baterias clássicas que usamos, com princípio chumbo-ácido, pesam a grosso modo 4kg pra cada Ah que elas conseguem armazenar. Se faz bem pouca coisa com 1 Ah.

Agora imaginem uma bateria que armazena energia suficiente para 4 dias de banhos quentes, refeições, e mais, pesando apenas 1kg ou pouco mais (tem a tara). Isso é o nosso botijão de gás.

As baterias de lítio já são mais eficientes, mas ainda ficam muito longe disso. Uma das coisas que eu espero poder presenciar em vida é o surgimento de uma forma de armazenamento de energia significativamente mais eficiente. Vai mudar o mundo de forma que nem conseguimos imaginar ainda.

Fim da pausa filosófica. :smile: