Minimalismo e o campismo

Hoje assisti ao documentário “Minimalism”, disponível no Netflix e feito pelos caras que divulgam a idéia no site deles na internet. Tem bastante coisa online sobre o conceito, mas a idéia fundamental é simples: olhar ao redor da gente e procurar identificar o que a gente realmente precisa para ser feliz, e o que a gente acaba possuindo ou achando que precisa para satisfazer um desejo imposto pelo modelo de sociedade que a gente vive.

Achei isso bem perto de algumas das idéias que a gente conversa no universo campista. Alguns de nós acabam optando por viver boa parte do tempo ou até mesmo integralmente de seus trailers e motorhomes, o que é o nirvana nesses termos, mas mesmo quando ainda temos uma casa e em geral com mais do que realmente precisamos, o campismo é legal porque mostra pra gente que viver em um espaço pequeno e com pouca coisa por um tempo maior não só é possível como pode ser muito bom.

O fato do campismo ser “móvel” por natureza também ajuda muito nesses termos. Mesmo que o consumismo esteja bastante presente nesse meio com tantas tentações de pequenas e grandes bugigangas que parecem que vão melhorar tanto as nossas próximas aventuras (algumas bastante caras!), sempre acabamos levando em conta que cada uma dessas bugigangas é algo que teremos que carregar e armazenar no escasso espaço que temos, e claramente há um limite bastante pequeno.

Isso tudo não é exatamente novidade para vocês que estão aqui, pois a final de contas já somos parte desse universo, mas fiquei meditando sobre como a gente pode melhorar o nosso estilo de vida e sermos realmente mais felizes se prestarmos atenção nesses detalhes e trouxermos essas idéias para fora do camping.

Parece que todo mundo anda com tanta pressa sem saber pra onde vai, né? Que sorte a nossa termos algo que nos ajude na tarefa de ignorar essa “felicidade vendida” que é tão universal e na verdade infeliz.

Uma boa e feliz semana para todos.

1 Curtida

Sim Gustavo, a essência minimalista do Campismo é isso para mim, embora, vez por outra, me pego com tralhas que comprei pensando que iriam me servir, e na realidade ficam esquecidas e inúteis por tempos consideráveis…pois é, isto sinaliza o poder da mídia sobre a sociedade de consumo, ou seja, nós :scream:
Bom, para mitigar isto, hoje fizemos comida fora do Guanaquito, num quiosque a 3 metros dele, e utilizei meu fogareiro da Nautika…um delicioso sucesso! :yum:
Mas o assunto é sério, e eu mesmo estou vivendo uma viagem nesse sentido, literalmente, e o tempo dirá até que ponto a teoria se encontra com a prática…enfim, Carpe diem!
Grande abraço!

Dardo.

1 Curtida

Nem me fala, @Dardo! Eu tenho um fogareiro bem simples desses externos já a dois anos no trailer e ainda não consegui usar ele. :unamused: Acho que todos nós acabamos com tralhas que achamos que seriam úteis mas acabam em um canto, mas nessa vida móvel ao menos somos forçados a pensar com mais cuidado no que vamos levar porque os esses cantos são bem limitados.

Há algum tempo eu comecei a prática de passar adiante as coisas que eu não uso, vendendo por um preço razoável (pra sair mesmo) ou doando quando há alguém por perto que faria um bom uso daquilo. Ainda estou me profissionalizando no assunto e ainda longe de conseguir caber tudo em um trailer :smile:, mas já percebo que a direção é boa.

Quando tiveres comentários sobre essa experiência que vocês estão passando, nesse sentido de como é o sentimento e as dificuldades iniciais de se viver com o mínimo, por favor compartilhe com a gente. É sempre melhor aprender de alguém que tem experiência própria em primeira mão.

1 Curtida